Bolsa p/ MONITORIA em História Antiga – SELEÇÃO/2016/UFF

Brasão da Universidade Federal Fluminense (UFF)DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA – INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E FILOSOFIA – UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

Disciplina: GHT 00372 – APOIO À DISCIPLINA HISTÓRIA ANTIGA (Projeto GHTP0011, cujo inteiro teor acha-se disposto ao final).

Vagas oferecidas: 01 (uma) vaga p/ bolsista e 01 (uma) vaga p/ monitoria voluntária.         

Orientador: Prof. Dr. Manuel Rolph Cabeceiras.

(informações abaixo sistematizadas a partir do edital e das normas de seleção para a monitoria de formação docente no espaço acadêmico)

1. DAS INSCRIÇÕES

1.1 – Prazo: até 7 de março de 2016.

1.2 – Local: http://sistemas.uff.br/monitoria

1.3 – Pré-requisitos

1.3.1 Ter concluído e sido aprovado na disciplina objeto desta seleção: GHT 00372 (História Antiga).

1.3.2 Ter a matrícula ativa neste primeiro semestre civil de 2016, não sendo autorizados a participar do processo os alunos ingressantes em 2015/2 (número de matrícula iniciado em “215002”).

1.3.3 Não ter a conclusão do Curso de Graduação (Bacharelado ou Licenciatura) prevista para o 1º semestre letivo de 2016.

2DOS DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA A INSCRIÇÃO AO PROCESSO SELETIVO

2.1 Comprovante de aprovação na disciplina objeto desta seleção (histórico escolar).

2.2 Comprovante de permanência de vínculo para os alunos cuja conclusão do curso esteja prevista para o 2º semestre de 2016.

2.3 Termo de Concordância com as diretrizes de Orientação do Monitor propostas pelo Departamento.

3DAS ETAPAS DO PROCESSO SELETIVO

3.1 – Prova Escrita: 08/03/2015 às 9h.

3.2 – Entrevista: 08/03/2015 às 14h.

3.3 – Local das provas: sala 516 bloco O (Escrita) e sala 332 bloco O (Entrevista).

3.4 – Divulgação dos resultados: o dia e o local da entrega dos resultados serão informados aos candidatos no ato da prova escrita.

3.5 – Pontos para a PROVA ESCRITA:

I – A estrutura econômica e social do Antigo Oriente Próximo (Egito e Mesopotâmia): as articulações entre palácios e aldeias.

II – A organização do poder no Antigo Oriente Próximo (Egito e Mesopotâmia).

III – A participação política na Atenas clássica e na Roma republicana.

IV – A escravidão na Antiguidade Clássica (Grécia e Roma).

3.6 – Procedimento da Prova escrita:

a) Na Prova Escrita, sem consulta, o candidato deverá desenvolver de forma clara, articulada e consistente o conteúdo referente a apenas um entre os quatro pontos acima indicados, evidenciando o domínio da bibliografia pertinente;

b) O ponto a ser desenvolvido será selecionado previamente pelo próprio candidato;

c) O tempo para desenvolvimento da questão escrita será de 2 horas.

3.7 – Bibliografia sugerida:

BRAUDEL, F. Memórias do Mediterrâneo: Pré-história e antiguidade. Lisboa: Terramar, 2001.

CARDOSO, C. F. S. Deuses, múmias e ziggurats: uma comparação das religiões antigas do Egito e da Mesopotâmia. Porto Alegre: Editora PUC- RS, 1999.

_________________ Sociedades do antigo Oriente Próximo. São Paulo: Ática, 1980.

_________________ Trabalho compulsório na Antiguidade. Rio de Janeiro: Graal, 1984.

DONADONI, S. (ed.) O Homem Egípcio. Lisboa: Presença, 1994.

FINLEY, M. I. Economia antiga. 2ª. ed. rev. amp., Porto: Afrontamento, 1986

____________ A política no mundo antigo. Rio de Janeiro: Zahar, 1985.

GARELLI, P. O Oriente Próximo Asiático, 2 v. (e NIKIPROWETZKY, V. o 2º vol.). São Paulo: EdUsp-Pioneira, 1982.

GIARDINA, A. (ed.). O Homem Romano. Lisboa: Presença, 1991.

HARTOG, F. A História de Homero a Santo Agostinho. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2001.

MENDES, N. M. e VENTURA, G. S. (orgs.). Repensando o Império Romano: perspectiva socioeconômica, política e cultural. Rio de Janeiro; Vitória: Mauad; EDUFES, 2006.

THEML, N. O público e o privado na Grécia; do séc. VII. ao ISéc. a.C. Rio de Janeiro: Sette Letras, 1998.

VERNANT, J.-P. (ed.). O Homem Grego. Lisboa: Presença, 1993.

3.8 – Da ENTREVISTA: O candidato deve apresentar também desempenho satisfatório na entrevista, de acordo com os interesses voltados para o ensino, pesquisa e extensão da matéria de História Antiga, conforme definido no projeto aprovado.

4. DOS CRITÉRIOS DE APROVAÇÃO e CLASSIFICAÇÃO

4.1 A prova escrita relativa à ementa prevista no Edital e a entrevista, cada uma, não são eliminatórias, tendo caráter classificatório.

4.2 Serão considerados aprovados os candidatos que obtiverem média final superior ou igual a 7,0 (sete) no processo seletivo.

4.3 A classificação dos aprovados ocorre em ordem decrescente das notas médias finais.

4.4 A vaga do(a) bolsista será destinada a quem obtiver a maior nota média final e para o preenchimento da vaga de monitoria voluntária será seguida a classificação dos demais candidatos, convocando-os obrigatoriamente pela ordem decrescente das notas médias finais.

4.5 Critérios de desempate: a) maior nota na prova escrita; b) maior nota na entrevista; c) discente mais antigo no curso; d) discente mais idoso.

5. DOS RECURSOS

5.1 – Instâncias de recursos:

a) A Banca de Seleção no prazo de até 72 (setenta e duas) horas transcorridas após a divulgação dos resultados do processo seletivo;

b) Em última instância, a Comissão de Monitoria da PROGRAD, no prazo de até 72 (setenta e duas) horas após a ciência do resultado do recurso em primeira instância.

6. DA ASSINATURA DO TERMO DE COMPROMISSO

6.1 O candidato classificado deverá comparecer à Secretaria do Departamento após acessar o Sistema de Monitoria, aceitar a classificação na vaga e gerar o Termo de Compromisso para proceder à assinatura do mesmo.

6.2 Será considerado desistente o candidato que não comparecer no prazo de 1 (uma) semana após o aceite da vaga no Sistema.

7. DA BANCA

7.1 São membros da Banca Examinadora os Profs. Manuel Rolph Cabeceiras, Thaíse Pereira Bastos de Almeida SilvaSilvia Patuzzi.


PROGRAMA DE MONITORIA

 

PROJETO PARA A MONITORIA DA MATÉRIA DE HISTÓRIA ANTIGA

 

Apoio à disciplina História Antiga

 

1. Objetivo:

Iniciação à docência de nível superior no âmbito do tripé que constitui a universidade: ensino, pesquisa e extensão, atuando no laboratório, na sala de aula, na preparação de material essencial para atividades práticas e no atendimento extraclasse aos alunos.

 

2. Justificativa:

 As atividades da monitoria em História Antiga se enquadram no horizonte do Plano Permanente do Departamento de História a respeito e no Programa de Monitoria implementado pela Universidade Federal Fluminense.

 

3. Metodologia de acompanhamento e avaliação:

 A metodologia a ser utilizada no trabalho com a monitoria é a mesma utilizada no Departamento de História da Universidade Federal Fluminense, caracterizada pela integração entre ensino e pesquisa. Compreende-se a formação do historiador em sua plenitude como professor e pesquisador. Desse modo todos os trabalhos propostos visam articular pesquisas de fontes documentais e bibliográficas e sua adequação aos cursos ministrados, seja no acompanhamento mais direto da sala de aula, seja pela produção de materiais de consulta que visam facilitar a ação de professores e alunos. O monitor em História Antiga, assim como os demais monitores do Departamento de História da UFF, embora não esteja habilitado à docência de forma integral, pode ainda ser um auxílio eficaz no esclarecimento de dúvidas dos alunos.

O acompanhamento e a avaliação do monitor em História Antiga ocorre  em sintonia com a dos monitores em geral do Departamento de História da UFF, ou seja, no próprio desenvolvimento do curso ministrado, ao qual o monitore acompanha presencialmente. Ocorre também periodicamente nas reuniões entre o professor responsável e o monitor.

Através dos encontros previstos e dos relatórios abaixo discriminados os monitores serão observados no seu acompanhamento nos seguintes aspectos: assiduidade, pontualidade, disponibilidade de tempo para as tarefas empreendidas, competência cognitiva, educação no trato com o professor e com os alunos, criatividade e relativa autonomia.

Ainda ao final de cada semestre será aplicado junto aos alunos da disciplina questionário visando aferir o grau de satisfação com a atividade da monitoria.

4. Atribuições do monitor:

Mesmo quando não dito, as atribuições sempre ocorrerão sob a orientação do professor de modo a garantir a eficácia da monitoria como atividade pré-docente. Resumidamente as tarefas do monitor são:

· Atendimento extraclasse individualizado ou em grupo para sanar dúvidas do aluno da disciplina.

· Orientar oficina extraclasse de apoio aos conteúdos básicos da matéria. . Supervisionar o cumprimento das práticas educativas (das 68h da disciplina, 8h são de práticas educativas conforme o projeto pedagógico do Curso de História).

· Atuar no laboratório de História Antiga ao qual o orientador se acha vinculado (CEIA) conforme a designação deste.

· Colaborar e participar por ocasião da Jornada de Estudos da Antiguidade nas atividades necessárias e outros eventos da matéria a ser designado pelo orientador.

· Participar da Semana de Monitoria da UFF com apresentação de trabalho na forma de oficina, pôster ou comunicação.

· Elaborar relatórios parciais (mensais) e geral (ao final do ano) das atividades desenvolvidas.

· Atividade principal do monitor: atendimento extraclasse aos alunos.

5. Cronograma semanal de trabalho do monitor na sala de aula e no laboratório:

Tarefas

Distribuição horária durante a semana

Atendimento no laboratório para desenvolvimento das atividades extraclasse previstas de apoio à disciplina

 

8 h

Acompanhamento em sala de aula do curso do professor orientador

 

4 h

Reuniões com o orientador (quinzenais, extraída esta carga horária do período de atendimento)

 

2 h

8. Número de monitores solicitados:

2 (dois).

8.1. Caracterização do Projeto:

Com o REUNI o ingresso de estudantes no Curso de Graduação em História / Licenciatura Plena e Bacharelado teve o número de vagas ampliado de 90 para 104 por semestre, cada semestre tendo duas entradas, uma para o turno da manhã, outra para o turno da noite.

Assim, as disciplinas do Ciclo Básico, todas obrigatórias, têm turmas com módulo de 62 estudantes, 52 vagas de ingressantes por entrada mais 10 para cobrir os diversos tipos de transferência e as necessidades de alunos regulares que não a cursaram no devido tempo.

De todas essas disciplinas, para a de HISTÓRIA ANTIGA está reservada a situação mais peculiar e complexa. Situada na grade já no 1º período, onde se dá o ritual de passagem para vida acadêmica e o risco de evasão é grande, nela se une 1) o desafio do conteúdo mais extremamente complexo e abrangente de todas quantas são oferecidas no Básico e 2) o da quase total ausência por parte dos alunos de conhecimento prévio dos assuntos a serem abordados.

Ao mesmo tempo é preciso proporcionar o exercício de análise das fontes documentais e do uso adequado do método comparativo, a identificar a relevância, os limites e as virtualidades teórico-metodológicas do estudo da Hist. Antiga.

Para enfrentar com eficácia tal problemática os monitores têm um papel fundamental a desempenhar.

Publicado on 02/03/2016 at 4:14  Comentários desativados em Bolsa p/ MONITORIA em História Antiga – SELEÇÃO/2016/UFF  
%d blogueiros gostam disto: